Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Diversidade impulsiona vinho italiano no Brasil

'Mercado está amadurecendo', disse Italian Trade Agency

SÃO PAULO, 05 outubro 2023, 20:24

Redação ANSA

ANSACheck

Estande da Italian Trade Agency na ProWine - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

Diante de um mercado cada vez mais maduro e em franca expansão, os vinhos italianos estão diversificando sua presença no Brasil, que começa a tomar gosto também por variedades que vão além de rótulos já consagrados no paladar nacional, como Chianti e Barolo.

Um pouco desse cenário pôde ser visto na feira ProWine, realizada entre 3 e 5 de outubro, em São Paulo, e que reuniu dezenas de produtores do "Belpaese", 11 deles no estande da Italian Trade Agency (ITA/ICE), agência do governo da Itália para promoção de exportações.

"Achamos a feira muito boa, com muitos contatos e empresas visitantes bem qualificadas, tanto para quem veio pela primeira vez e procurava um importador como para aqueles que queriam ampliar a presença de seus produtos aqui no Brasil", disse à ANSA Ronaldo Padovani, senior trade analyst da ITA, que participou da ProWine pela primeira vez.

"Estamos realmente bastante satisfeitos e, na próxima edição, a ideia é ampliar a área, talvez unir os vários italianos dispersos pela feira e fazer um pavilhão italiano com mais visibilidade para mostrar que a Itália está realmente interessada em investir nesse mercado, que está amadurecendo e crescendo", acrescentou.

Os números comprovam esse cenário: entre janeiro e agosto de 2023, o Brasil importou US$ 24,6 milhões em vinhos italianos, crescimento de 4,4% sobre igual período de 2022. Em volume, a Itália fica atrás apenas de Chile, Argentina e Portugal. Ao mesmo tempo, o custo médio dos rótulos italianos importados pelos brasileiros cresceu 14,3%, de US$ 3,43/litro para US$ 3,92/litro, indicando um interesse por produtos de maior valor agregado.

"Isso significa que os brasileiros estão importando vinhos de maior qualidade, o que está alinhado com a proposta italiana. No Brasil, o vinho italiano é muito ligado aos ícones, como Barolo, Amarone, Chianti, Nero D'Avola e Primitivo di Manduria, mas a Itália vai muito além disso, e aos poucos o consumidor brasileiro vai conhecendo um pouco mais sobre outras variedades", ressaltou Padovani.

Essa diversidade inclui 635 variedades de uvas catalogadas, número recorde no mundo, e 255 mil empresas vitivinícolas, que dão origem à maior produção de vinhos de todo o planeta, com 50,3 milhões de hectolitros em 2022, 24% do total global.

Para 2024, o escritório brasileiro da ITA planeja promover mais ações voltadas ao consumidor final, que agora terá à sua disposição uma oferta ainda maior de vinhos italianos nas prateleiras de empórios e supermercados. "O brasileiro aprecia o produto italiano e está muito predisposto para isso", ressaltou Padovani. (ANSA)  

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Ou use

Último momento

404 Not Found

404 Not Found


nginx