/ricerca/brasil/search.shtml?any=
Mostre menos

Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Menor casa medieval do mundo será aberta a visitação na Itália

Imóvel de 8 metros quadrados em Abruzzo fará parte de museu

ROMA, 17 janeiro 2024, 15:20

Redação ANSA

ANSACheck

Local fica perto de L 'Aquila (Foto: Emanuele Valeri/ANSA) - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

(ANSA) - A menor casa medieval do mundo está prestes a reabrir em Abruzzo, na Itália, como parte de um projeto de museu em uma cidade próxima a L'Aquila, para exibir a cultura e história rural local.

A propriedade em Goriano Valli, com apenas oito metros quadrados, teve como últimos habitantes um casal de agricultores, até 140 anos atrás.

Desde então, o pequeno espaço, contendo apenas uma cama de tábuas de madeira e um colchão de palha, uma lareira, duas cadeiras, um baú e uma bacia, permaneceu fechado.

Agora, ela fará parte do MuDi, museu no Parque Regional Sirente-Velino, a ser inaugurado em junho.

"Entrar nesta casa é como retornar magicamente à vida cotidiana rural do passado: encontrando objetos que narram o trabalho diário dos camponeses a serviço do barão local", disse o criador do MuDi, Fausto Di Giulio.

"Desprovida de banheiros e água corrente, esta pequena estrutura doméstica mantém uma autenticidade medieval que permite aos visitantes se imergirem em uma era passada", continuou ele.

As primeiras estações do MuDi a serem inauguradas em junho incluem também a propriedade ao lado da casa medieval, datada de 1494, cujo brasão combinado das poderosas famílias nobres Sannesio e Malaspina foi restaurado.

 
   

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Ou use