/ricerca/brasil/search.shtml?any=
Mostre menos

Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

UE lança plano para evitar que empresas façam greenwashing

Medida ainda prevê multas e sanções para quem burlar legislação

BRUXELAS, 22 março 2023, 14:06

Redação ANSA

ANSACheck

UE lançou novo plano para evitar que empresas finjam ser sustentáveis © ANSA/EPA

(ANSA) - A Comissão Europeia lançou nesta quarta-feira (22) um plano para evitar as práticas de greenwashing, quando empresas fingem ou mentem sobre tomar medidas sustentáveis por meio de estratégias de marketing com o objetivo de enganar clientes ou seus públicos.

Agora, todas as marcas precisarão apresentar provas científicas para garantir o recebimento das etiquetas "eco", "bio" ou "com pegada climática reduzida" em seus produtos. Caso façam declarações infundadas, os Estados-membros poderão aplicar sanções, incluindo multas.

Segundo dados do próprio bloco, 53,3% das declarações "verdes" sobre produtos feitos na União Europeia são consideradas "vagas", "errôneas" ou "infundadas". Isso inclui itens biodegradáveis, roupas e plásticos dos mais diversos tipos.

Informações ou rótulos que usam uma pontuação agregada do impacto ambiental geral do produto não serão mais permitidos e, com a proliferação contínua de rótulos ambientais - Bruxelas estima que existam pelo menos 230 hoje - nenhum novo esquema público de rotulagem será liberado, a menos que seja desenvolvido em nível europeu.

Os países-membros devem garantir a aplicação das novas normas com um sistema de controles e introduzir "sanções eficazes, proporcionais e dissuasivas" para quem não respeita às regras.
   

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Ou use