/ricerca/brasil/search.shtml?any=
Mostre menos

Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Lula admite exploração de petróleo na foz do Amazonas

BRASÍLIA, 22 maio 2023, 09:27

Redação ANSA

ANSACheck

Lula durante cúpula do G7 © ANSA/EPA

(ANSA) - No último dia de sua visita ao Japão, onde participou da cúpula do G7, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva admitiu a possibilidade de exploração de petróleo na foz do rio Amazonas, tema que desencadeou uma crise entre os ministérios de Minas e Energia e Meio Ambiente.

"Se extrairmos petróleo da foz do Amazonas, que está a 530 quilômetros do Amazonas, em alto mar, e isso causar problemas para o Amazonas, certamente não será explorado. Mas eu acredito que sim, porque está a 530 quilômetros da Amazônia. Vou conversar para saber", disse Lula ao sair da coletiva de imprensa em um hotel em Hiroshima na manhã desta segunda-feira (22), horário do Japão.

O Ibama, vinculado ao Meio Ambiente, negou autorização à Petrobras para perfurar um poço exploratório localizado a 160 km do Amapá.

No entanto, o ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, solicitou à Petrobras que não retire a sonda instalada nessa bacia, e Marina Silva, do Meio Ambiente, expressou "preocupação" em relação aos riscos dessa exploração.

Lula assegurou que o Brasil cumprirá seu compromisso de zerar o desmatamento na Amazônia até 2030 e afirmou que o país passa por uma transição energética profunda e tem autoridade moral e política para discutir questões ambientais.

"Não queremos transformar a Amazônia em um santuário, precisamos explorar a riqueza da biodiversidade e gerar empregos limpos para que a Amazônia e o planeta possam sobreviver", ressaltou. (ANSA)

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Veja também

Ou use