Incêndio destrói 2,8 mil hectares de parque na Argentina

Investigação de fogo ativo há 1 semana indica causa intencional

Incêndio devasta Parque Los Alerces (foto: ANSA)
Incêndio devasta Parque Los Alerces (foto: ANSA)

(ANSA) - Um incêndio atinge ativamente, há mais de uma semana, o Parque Nacional Los Alerces, na província da Patagônia de Chubut, no extremo sul da Argentina.

O fogo já afetou mais de 2,8 mil hectares de mata nativa, em uma área que é protegida e reconhecida como Patrimônio Mundial da Unesco desde 2017, com árvores milenares.

Cerca de 350 brigadistas trabalham arduamente para extinguir as chamas, mas ventos com até 40 km/h vêm prejudicando o trabalho.

O comando do parque, o Corpo de Bombeiros e a Secretaria de Florestas de Chubut emitiram um relatório indicando que nesta sexta-feira (2) os trabalhos prosseguem, “com linhas de água e ferramentas manuais nos pontos críticos dos oito setores do incêndio florestal”.

“O fogo continua ativo em todas as frentes, comportando-se com especial intensidade nos desfiladeiros, dadas as condições meteorológicas”, disse o comunicado.

Segundo o jornal Clarín, as investigações indicam que o incêndio começou de forma intencional.

O principal indício é o horário do começo do fogo, às 22h30 (horário local) da quinta-feira (25), com dois focos simultâneos.

O superintendente do parque, Danilo Hernández Otaño, garantiu a natureza dolosa do caso, afirmando não haver necessidade de perícia para confirmar a informação: “Ficou claro que se tratou de algo premeditado, para que seja difícil o controle inicial rápido. Foi iniciado ao anoitecer, sabendo que o combate a incêndios, por protocolo de segurança, deve ser realizado de dia”.

A área atingida tem a particularidade de ser o maior setor de floresta valdiviana da Argentina.

O bioma se caracteriza por suas florestas perenes de múltiplas camadas, em clima temperado chuvoso ou oceânico.

Já o parque foi batizado com o nome em espanhol do pinheiro-larício, a árvore nativa mais alta da região do Cone Sul.

O local abriga espécimes de 2,6 mil anos, com alturas que chegam a 57,5 metros e diâmetros de 2,3 metros.

(ANSA).