Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Queimadas no Brasil crescem 248% entre janeiro de 2023 e 2024

Dados são do Monitor do Fogo, do Mapbiomas

(ANSA) - BRASÍLIA, 27 fevereiro 2024, 15:25

Redação ANSA

ANSACheck

Brigada de Alter do Chão (PA) (Foto: Divulgação) - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

(ANSA) - A área destruída por queimadas no Brasil foi de 1,02 milhão de hectares em janeiro de 2024, representando um aumento de 248% em comparação com o mesmo período do ano passado, de acordo com um levantamento divulgado nesta terça-feira (27) pelo Monitor do Fogo do sistema de monitoramento Mapbiomas.

O bioma mais afetado foi a Amazônia, com 941.499 km2, registrando um aumento de 266% em relação a dezembro do ano passado.

Os três estados com a maior área destruída pelo fogo foram Roraima, com 413,1 mil km2, seguido pelo Pará, com 314,6 km2, e o Amazonas, com 95,3 km2.

Localizado perto da Linha do Equador, o estado de Roraima apresenta características singulares, fazendo com que o período de queimadas ocorra no início do ano, em vez de entre o meio e o fim do ano, como ocorre em outras regiões da Amazônia.

"É normal que a Amazônia lidere disparadamente a área queimada no início do ano devido ao fato de a estação seca de Roraima ocorrer neste período. No entanto, este ano houve o agravante da seca extrema, que reduziu a chuva", disse a coordenadora do MapBiomas, Ane Alencar.


   

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Veja também

Ou use

Último momento

404 Not Found

404 Not Found


nginx