Lula defende Nobel da Paz para cacique Raoni

Líder indígena foi condecorado por Emmanuel Macron

Cacique Raoni com os presidentes Emmanuel Macron e Lula (foto: ANSA)
Cacique Raoni com os presidentes Emmanuel Macron e Lula (foto: ANSA)

(ANSA) - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) defendeu que o cacique Raoni Metuktire, da etnia caiapó, receba o Prêmio Nobel da Paz, durante evento em Belém (PA) com o mandatário da França, Emmanuel Macron, que condecorou o líder indígena com a medalha da Legião da Honra.

"Posso lhe dizer, companheiro Raoni, não tem ninguém no planeta Terra que mereça ganhar o Prêmio Nobel da Paz mais que você. Você merece e os indígenas brasileiros merecem", apontou o governante durante uma solenidade na Ilha do Combu, uma das maiores da capital paraense.

"Se depender de mim, e espero que se depender do Macron, [teremos] uma conversazinha com o pessoal da Noruega, para fazer com que um indígena brasileiro possa receber o Nobel", comentou Lula.

Já Macron reconheceu o "orgulho" do presidente brasileiro por "estar do lado do povo indígena". "Você [Raoni] esteve na Europa e eu me comprometi a vir aqui na sua floresta", acrescentou o mandatário francês, que faz sua primeira visita ao Brasil.

Lula e Macron lançaram um plano de investimentos de 1 bilhão de euros (R$ 5,4 bilhões) em bioeconomia na Floresta Amazônica nos próximos quatro anos e se comprometeram "a trabalhar em âmbito bilateral e multilateral para tornar a ação contra a mudança climática uma prioridade estratégica".

Além disso, os presidentes "mobilizarão seus parceiros em torno do objetivo de aumentar a ambição dos compromissos até a COP30", que se realizará em novembro de 2025, em Belém. (ANSA)