/ricerca/brasil/search.shtml?any=
Mostre menos

Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Bienal de Veneza terá estrangeiros como foco, diz curador

Brasileiro Adriano Pedrosa será responsável pelo evento em 2024

VENEZA, 22 junho 2023, 09:39

Redação ANSA

ANSACheck

Adriano Pedrosa é diretor artístico do Masp desde 2014 © ANSA/Divulgação

(ANSA) - O brasileiro Adriano Pedrosa, curador da 60ª Bienal de Arte de Veneza, afirmou que a próxima edição do evento, marcada para 2024, terá como foco os estrangeiros.

A expressão "Stranieri Ovunque" ("Estrangeiros por toda parte") foi selecionada para ser o título da prestigiada exposição internacional e, segundo Pedrosa, tem como objetivo mostrar que as pessoas "sempre serão estrangeiras".

"Significa que onde quer que você vá e onde quer que esteja, você sempre encontrará estrangeiros, estamos em todos os lugares. Em segundo lugar, não importa onde você esteja, no fundo você sempre será estrangeiro", afirmou.

O atual diretor artístico do Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand (Masp) acrescentou que a Bienal de Arte de Veneza dará atenção ao hemisfério sul, principalmente para artistas "que têm se deslocado entre o sul e o norte do mundo".

"A exposição desenvolverá e focará em obras de assuntos conectados adicionais. Terá o artista queer, que transita em diferentes sexualidades e gêneros e é frequentemente perseguido; o artista outsider, que se encontra à margem do mundo da arte; e o artista indígena, muitas vezes tratado como estrangeiro em sua própria terra", comentou Pedrosa.

O brasileiro revelou que a exposição ainda terá um "núcleo histórico", que serão três salas com obras do século passado da América Latina, África, Ásia e mundo árabe.

O evento também contará com um espaço dedicado aos artistas italianos no mundo durante o século 20.

A Bienal de Arte de Veneza está agendada para acontecer entre os dias 20 de abril a 24 de novembro de 2024.
   

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Veja também

Ou use