/ricerca/brasil/search.shtml?any=
Mostre menos

Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Lula se reúne com Xi Jinping e debate geopolítica e economia

Presidentes assinaram 15 acordos comerciais em Pequim

SÃO PAULO, 14 abril 2023, 08:47

Redação ANSA

ANSACheck

Lula e Xi se reuniram em Pequim nesta sexta © ANSA/EPA

(ANSA) - O presidente da China, Xi Jinping, recebeu nesta sexta-feira (14) seu homólogo brasileiro, Luiz Inácio Lula da Silva, em Pequim, e os dois líderes debateram questões ligadas à geopolítica mundial e temas econômicos.

O encontro também contou com a presença do presidente da Assembleia Popular da China, Zhao Leji.

Falando com jornalistas, Lula destacou que o Brasil "quer elevar o patamar da parceria estratégica entre os países, ampliar fluxos de comércio e, junto com a China, equilibrar a geopolítica".

O mandatário ainda afirmou que a visita também quer "mostrar ao mundo" que o governo brasileiro "não tem preconceito nas relações com os chineses" e que "ninguém vai proibir" que o país tenha relação com a China, que é o maior parceiro comercial nacional desde 2009.

Segundo a mídia chinesa, os dois líderes ainda concordaram que "paz na Ucrânia" só pode vir "através do caminho do diálogo". No entanto, não ficou claro se Lula apoiou o plano chinês apresentado em fevereiro ou se Xi se comprometeu a reforçar as iniciativas brasileiras pela paz.

Além da reunião formal entre os dois presidentes, foram assinados 15 acordos comerciais nas áreas agrícolas, finanças, cooperação industrial, comunicações e mídias, ciência e tecnologia.
   

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Veja também

Ou use