/ricerca/brasil/search.shtml?any=
Mostre menos

Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

UE aprova fusão entre Credit Suisse e UBS

Operação é resultante da crise bancária de março passado

BRUXELAS, 25 maio 2023, 11:34

Redação ANSA

ANSACheck

Credit Suisse passou por crise de confiança em março © ANSA/EPA

(ANSA) - A Comissão Europeia aprovou sem condições a fusão entre os bancos suíços Credit Suisse e UBS, anunciada em março passado, em meio a uma onda de pânico no mercado financeiro global.

Segundo o poder Executivo da União Europeia, a união entre os dois maiores bancos da Suíça não terá efeitos significativos na concorrência no espaço econômico europeu.

De acordo com o parecer, a empresa resultante continuará enfrentando uma "notável concorrência da parte de uma ampla gama" de empresas do setor financeiro, "incluindo importantes bancos globais e fortes atores locais" nos Estados-membros do bloco.

As ações do Credit Suisse derreteram em março passado, na esteira da quebra de dois bancos de pequeno porte nos Estados Unidos. Com isso, a instituição entrou na mira do UBS, líder do mercado bancário na Suíça e que comprará o rival por cerca de US$ 3,2 bilhões. (ANSA)

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Veja também

Ou use