/ricerca/brasil/search.shtml?any=
Mostre menos

Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Premiê da Itália diz que Nova Rota da Seda não trouxe resultados

Meloni, no entanto, destacou a necessidade de manter cooperação

ROMA, 07 dezembro 2023, 13:40

Redação ANSA

ANSACheck

O acordo expira em março de 2024 e teria sido automaticamente renovado, a menos que Roma avisasse formalmente com uma carta pelo menos três meses antes da data - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

(ANSA) - A primeira-ministra da Itália, Giorgia Meloni, afirmou nesta quinta-feira (7) que a cooperação com a China precisa prosseguir e ser melhorada, mas apontou que a Iniciativa do Cinturão e Rota (BRI), conhecida como "Nova Rota da Seda", não surtiu o efeito desejado.

A Itália assinou um memorando de entendimento com a China em 2019, na gestão do então premiê Giuseppe Conte, do Movimento 5 Estrelas (M5S), mas, quando Meloni assumiu o cargo no ano passado, ela garantiu que queria deixar o acordo porque não trouxe ganhos significativos para o país europeu.

O acordo expira em março de 2024 e teria sido automaticamente renovado, a menos que Roma avisasse formalmente com uma carta pelo menos três meses antes da data, como, de fato, ocorreu.

Vale destacar que o megaprojeto chinês tem como principal objetivo ampliar a influência de Pequim no mundo.

"Penso que as relações de cooperação comercial e econômica com a China devem ser mantidas e melhoradas, mas a 'Nova Rota da Seda' não deu os resultados esperados", disse a chefe de governo italiana.

Meloni também comentou que Conte precisa explicar o motivo de a Itália ter sido o único país a ter aderido ao megaprojeto, sendo que Roma não é o principal parceiro comercial de Pequim.
   

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Veja também

Ou use