/ricerca/brasil/search.shtml?any=
Mostre menos

Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Lula chama invasores de 'fascistas' e decreta intervenção no DF

Presidente se pronunciou sobre insurreição bolsonarista

SÃO PAULO, 08 janeiro 2023, 22:18

Redação ANSA

ANSACheck

Insurreição bolsonarista em Brasília © ANSA/EPA

(ANSA) - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) chamou de "vândalos fascistas" os apoiadores de Jair Bolsonaro (PL) que invadiram as sedes dos três poderes neste domingo (8) e decretou intervenção na segurança pública do Distrito Federal.

A medida chega após a polícia do DF ser acusada de fazer vista grossa para a insurreição promovida por bolsonaristas contra as instituições democráticas em Brasília.

"Aquelas pessoas que chamamos de fascistas, o que há de mais abominável na política, invadiram a sede do governo, invadiram a sede do Congresso Nacional, invadiram a Suprema Corte, como verdadeiros vândalos, destruindo o que encontraram pela frente", disse Lula em Araraquara (SP), aonde ele viajou para verificar estragos provocados pelas chuvas na região.

"Todas as pessoas que fizeram isso serão encontradas e punidas. Elas vão perceber que a democracia garante o direito de liberdade e livre expressão, mas também exige que as pessoas respeitem as instituições criadas para fortalecer a democracia.", acrescentou.

Segundo Lula, "fascistas fanáticos fizeram o que nunca foi feito na história deste país". "Vamos descobrir os financiadores, e todos eles pagarão com a força da lei por esse gesto antidemocrático, esse gesto de vândalos e fascistas", declarou.

O presidente ainda acusou Bolsonaro de insuflar os golpistas e pediu punições "exemplares" para os invasores, "de forma a que ninguém nunca mais ouse, com a bandeira nacional nas costas pra se fingir de nacionalista, fazer o que eles fizeram hoje".

Lula também anunciou que vai retornar a Brasília e visitar as sedes do Congresso, do STF e da Presidência. "E podem estar certos, isso não se repetirá", prometeu.

A intervenção federal no DF valerá até 31 de janeiro e, segundo o decreto, tem como objetivo "pôr termo a grave comprometimento da ordem pública, marcada por atos de violência e invasão de prédios públicos".

O interventor será Ricardo Garcia Cappelli, secretário-executivo do Ministério da Justiça, e poderá usar inclusive as Forças Armadas para desalojar atos golpistas.

Alckmin e Moraes

O vice-presidente da República, Geraldo Alckmin, classificou a destruição como "barbárie".

"A barbárie de hoje é efeito direto da irresponsabilidade de todos que apoiam, financiam ou se omitem diante de atos antidemocráticos. Que sejam, na forma da lei, punidos em nome da República e da democracia, covardemente atingidas mais uma vez", publicou o vice-presidente.

O ministro do STF Alexandre de Moraes usou suas redes sociais para condenar os ataques.

"Os desprezíveis ataques terroristas à Democracia e às Instituições Republicanas serão responsabilizados, assim como os financiadores, instigadores, anteriores e atuais agentes públicos que continuam na ilícita conduta dos atos antidemocráticos. O Judiciário não faltará ao Brasil!", postou.

Primeiras imagens

O ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República, Paulo Pimenta, publicou um vídeo em suas redes sociais mostrando a destruição de parte do Palácio do Planalto.

Nas imagens, é possível ver as salas vandalizadas, obras de arte, mesas e cadeiras quebradas, em uma cena de total devastação.

Segundo informações oficiais, a sala do presidente Lula não foi afetada porque possui uma porta mais reforçada, o que impediu a entrada dos bolsonaristas. Porém todas as demais foram danificadas.

(ANSA)

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Veja também

Ou use