/ricerca/brasil/search.shtml?any=
Mostre menos

Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Governo Meloni tem teste nas urnas com eleição municipal

Pleito acontece em 14 e 15 de maio, em 595 cidades

ROMA, 14 maio 2023, 19:12

Redação ANSA

ANSACheck

Comunali: Brescia - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

(ANSA) - 595 dos cerca de 8 mil municípios da Itália vão às urnas neste domingo (14) e na segunda-feira (15) para eleger prefeitos e vereadores, em mais um teste eleitoral para a coalizão da premiê Giorgia Meloni.

O pleito engloba uma capital regional, Ancona (Marcas), e outras 12 capitais de província (Brescia, Brindisi, Imperia, Latina, Massa, Pisa, Siena, Sondrio, Teramo, Terni, Treviso e Vicenza).

As cidades com mais de 15 mil habitantes podem ter um segundo turno em 28 e 29 de maio, caso nenhum candidato a prefeito receba mais da metade dos votos. Até o meio-dia, 14,21% dos eleitores haviam votado, queda de mais de cinco pontos em relação ao pleito anterior (19,34%).

A Itália ainda terá eleições em mais 195 municípios neste mês: nas regiões de Trentino-Alto Ádige e Vale de Aosta, em 21 de maio, e nas ilhas de Sardenha e Sicília, em 28 e 29 de maio, totalizando 6,3 milhões de eleitores e 18 capitais de província.

Das 13 capitais provinciais que vão às urnas em 14 e 15 de maio, sete são governadas pela coalizão de direita que dá sustentação a Meloni, e cinco são comandadas pela centro-esquerda, enquanto Latina é liderada por um comissário especial desde o ano passado.

Em quatro das 13 capitais (Brindisi, Latina, Pisa e Teramo), o Partido Democrático (PD), de centro-esquerda, e o antissistema Movimento 5 Estrelas (M5S), as duas principais forças de oposição a Meloni, se aliaram para fazer frente à coalizão de direita, que se divide apenas em Massa, onde o Irmãos da Itália (FdI), partido da premiê, tem um candidato separado.

A aliança conservadora ainda tem como pilares a Liga, de Matteo Salvini, e o Força Itália (FI), de Silvio Berlusconi, que segue internado em função de uma infecção pulmonar e de uma leucemia crônica e divulgou um vídeo gravado no hospital para incentivar os eleitores a votar.

"Gostaria de lembrar a todos os nossos compatriotas sobre o dever de votar, porque quem não vota deixa para os outros decidirem sobre o futuro de sua cidade, então quem não vota não é um bom cidadão, não é um bom italiano", disse o ex-premiê, que ainda não tem previsão de alta. (ANSA)

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Veja também

Ou use