/ricerca/brasil/search.shtml?any=
Mostre menos

Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

O patriarca Berlusconi: as mulheres, os filhos e os 16 netos

Ex-premiê faleceu nesta segunda-feira (12) aos 86 anos

MILÃO, 12 junho 2023, 13:35

Redação ANSA

ANSACheck

Filhos de Berlusconi reunidos durante visita de Putin - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

"Me sinto um patriarca". Esta foi a frase que o senador e ex-premiê da Itália Silvio Berlusconi, que faleceu nesta segunda-feira (12) aos 86 anos, confessou a Alfonso Signorini em uma entrevista publicada pela revista Chi por ocasião de seu aniversário de 80 anos.

Na época, ele tinha cinco filhos de duas esposas e 10 netos, que agora chegam a 16. Os números traduzem dois aspectos de seu caráter: o amor pelas mulheres e pela família, que aprendeu com sua mãe Rosa.

É ela quem está sempre ao seu lado, quem o aconselha e quem ele ouve. Quando ela adoeceu, até sua morte em 2008, Berlusconi foi vê-la no apartamento que havia lhe dado de presente em Milão, na via San Gimignano, revezando-se com os irmãos Paolo e Maria Antonietta para nunca deixá-la sozinha.

A via San Gimignano é um lugar importante na vida do ex-primeiro-ministro. Em 1964, foi na igreja a poucos passos dali que ele se casou com Carla Dall'Oglio, uma moça de Moglia, na região de Mântua, quatro anos mais nova.

Entre seus convidados estava seu amigo de longa data, Fedele Confalonieri. Logo depois, nasceram os dois primeiros filhos: em 1966, Marina (nascida Maria Elvira), hoje presidente da Mondadori e da Fininvest, sempre pronta para defender o pai com mão de ferro, tanto que por diversas vezes se falou em sua entrada na política - algo que também sempre foi negado; e em 1969, Piersilvio, que tornou-se diretor administrativo e vice-presidente da Mediaset.

Onze anos depois, em 1980, o encontro no teatro Manzoni, de sua propriedade, com a atriz Veronica Lario, foi um amor à primeira vista. Ele imediatamente se mudou para a vila na via Rovani, então sede operacional da Finivest. Bárbara nasceu em 1984 e, poucos meses depois, o ex-premiê se divorciou da primeira esposa, sem alarde.

Em 1986, chega Eleonora (a única que não faz parte do conselho da Fininvest) e dois anos depois, Luigi, formado em Bocconi e agora único diretor da empresa B Cinque S.r.l e presidente do Conselho de Administração da holding italiana Quattordicesima S.p.A.

O casamento civil com Lario data de 1990, com Bettino Craxo e sua esposa, além de Fedele Confalonieri e Gianni Letta, como testemunhas. No mesmo ano, PierSilvio tornou-se pai de Lucrezia Vittoria, que em 2021 o tornou bisavô.

Enquanto isso, os filhos mais velhos iniciam sua jornada nos negócios da família até chegarem a liderá-los. Marina, que se tornou mãe de Gabriele e Silvio, casou-se com seu parceiro Maurizio Vanadia em Arcore em dezembro de 2008, ex-dançarino e atualmente vice-diretor da escola de dança da Accademia della Scala. Esta é a primeira ocasião em que Carla e Veronica se encontraram. Apenas alguns meses depois, Veronica Lario ataca o marido e o chama de "lixo sem vergonha".

Foi então que se formalizou a crise que deu início a um longo processo judicial, que continuou enquanto explodiu o caso Ruby e resultou em um divórcio, com um cheque mensal inicial a Lario de 3 milhões de euros, depois reduzido para 1,4 milhão. No entanto, novas sentenças anularam o valor completamente e garantiu um pedido de restituição de aproximadamente 43 milhões de euros, além dos custos judiciais.

A história terminou com um acordo extrajudicial: ele não pagou mais nada e ela não devolveu nada. Após a separação, Berlusconi não ficou sozinho por muito tempo. No Natal de 2011, ele formalizou a relação com a então jovem Francesca Pascale, de 26 anos, dando-lhe um anel de diamante.

Em 2020, após rumores persistentes, um comunicado de imprensa do partido conservador Força Itália (FI) que confirmou o término do relacionamento. Ela saiu de cena, e, em 2022, Berlusconi se juntou civilmente a Paola Turci. Na sequência, apareceu outra, Marta Fascina, nascida em 1990, deputada desde 2018 que se juntou à agora extensa família de Berlusconi.

Depois de Lucrezia Vittoria, que tinha vinte e poucos anos, Piersilvio teve, com a apresentadora Silvia Toffanin, mais dois filhos: Lorenzo Mattia e Sofia Valentina.

Já Bárbara, conhecida por seu relacionamento com o jogador de futebol Alexandre Pato, tem cinco filhos (Alessandro e Edoardo, de Giorgio Valaguzza; Leone, Francesco Amos e Ettore Quinto com Lorenzo Guerrieri). Eleonora três (Riccardo, Flora e Artemisia), Luigi dois, Emanuele Silvio e Tommaso Fabio, nascidos no ano passado.
   

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Veja também

Ou use