/ricerca/brasil/search.shtml?any=
Mostre menos

Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Relator vota para tornar Bolsonaro inelegível por 8 anos

Julgamento contra ex-presidente será retomado na quinta (29)

SÃO PAULO, 27 junho 2023, 23:00

Redação ANSA

ANSACheck

Bolsonaro pode ficar inelegível por oito anos © ANSA/EPA

(ANSA) - O ministro Benedito Gonçalves, relator do processo contra o ex-presidente Jair Bolsonaro no Tribunal Superior Eleitoral, votou na noite desta terça-feira (27) pela inelegibilidade do ex-mandatário pelos próximos oito anos.

Gonçalves foi o primeiro de sete ministros a votar na audiência, que durou cerca de três horas, e optou por salvar o ex-candidato à vice-presidente general Braga Netto.

Durante a sessão, o ministro disse que ficou comprovado abuso de poder político e utilização indevida dos meios de comunicação pela reunião com embaixadores realizada por Bolsonaro, na qual fez duros ataques contra o sistema eleitoral 76 dias antes do pleito presidencial.

Para Gonçalves, o ex-presidente "foi integral e pessoalmente responsável pela concepção intelectual do evento" com diplomatas.

"Isso abrange desde a ideia de que a temática se inseria na competência da Presidência da República para conduzir relações exteriores - percepção distinta que externou o ex-chanceler ao conceituar a matéria como um tema interno - até a definição do conteúdo dos slides e a tônica da exposição - que parece ter sido lamentada pelo ex-chefe da Casa Civil", disse.

Além disso, o ministro votou para manter na ação a inclusão da chamada "minuta do golpe" encontrada na residência do ex-ministro da Justiça Anderson Torres e explicou que a medida já teve o aval da corte, em fevereiro deste ano, justamente por ter relação com o fato em apuração.

"Esses elementos têm correlação estrita a causa de pedir e a gravidade da conduta, isso porque desde a inicial o autor alega que os investigados tinham como estratégia política eleitoral induzir descrédito ao resultado do pleito de 2022", afirmou o ministro, em um trecho da leitura de seu voto de 300 páginas.

Os outros ministros - Floriano de Azevedo, André Ramos Tavares, Cármen Lucia, Nunes Marques e o presidente da corte, Alexandre de Moraes - estão previstos para votar na próxima quinta-feira (29), às 9h (hora local).
   

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Veja também

Ou use