/ricerca/brasil/search.shtml?any=
Mostre menos

Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Lula classifica ações de Israel como 'insanidade'

Presidente promoveu café da manhã com jornalistas

(ANSA) - BRASILIA, 27 outubro 2023, 16:07

Redação ANSA

ANSACheck

Lula em café com jornalistas (Foto: Rafa Neddermeyer/Agência Brasil) - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

(ANSA) - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) classficou hoje (27) como "insanidade" a atitude do premiê israelense Benjamin Netanyahu de atacar a Faixa de Gaza e evitou chamar o Hamas de terrorista.

"Agora temos a insanidade do primeiro-ministro de Israel querendo acabar com a Faixa de Gaza, se esquecendo que lá não tem só soldado de Hamas, que lá tem mulheres, tem crianças, que são as grandes vítimas dessa guerra", afirmou o petista em encontro com jornaistas no Palácio do Planalto.

O Brasil exerce a presidência temporária do Conselho de Segurança da ONU, onde tem defendido um cessar-fogo, a libertação dos reféns em poder do Hamas e a criação de um corredor entre Gaza e Egito para garantir a repatriação de cerca de 30 brasileiros.

O mandatário progressista reiterou hoje que, para seu governo, Hamas não é um grupo terrorista.

"O Brasil só reconhece como organização terrorista aquela que o Conselho de Segurança da ONU reconhece, e o Hamas não é reconhecido pelo Conselho como organização terrorista, porque disputou eleições na Faixa de Gaza e ganhou", destacou.

"Mas dissemos que o ato de Hamas foi terrorista, nós dissemos isso em alto e bom som", reforçou.

A posição do governo brasileiro frente ao Hamas foi questionada há duas semanas pelo embaixador isralense em Brasília, Daniel Zonshine, durante um encontro com parlamentares brasileiros.

Posteriormente, o Ministério das Relações Exteriores brasileiro convocou Zonshine para que esclarecesse sua posição.
   
   

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Veja também

Ou use