Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

ANSA/Massa e Milei chegam à hora da verdade na Argentina

Segundo turno das eleições é marcado por forte tensão

BUENOS AIRES, 19 novembro 2023, 09:25

Redação ANSA

ANSACheck

Segundo turno na Argentina opõe Sergio Massa e Javier Milei - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

A Argentina chega polarizada ao momento da verdade, com o segundo turno das eleições presidenciais em um clima de tensão e incerteza como nunca se viu em 40 anos de democracia, prometendo uma batalha até o último voto.

Uma divisão que atravessa todo o país, das praças aos locais sagrados da cultura, como o Teatro Colón - um dos palcos mais apreciados do mundo -, onde o público entoou canções e assobios de protesto contra Javier Milei, mas também gritou coros de estádio em apoio ao candidato ultraliberal, que enfrenta o postulante do peronismo de centro-esquerda Sergio Massa, atual ministro da Economia.

Entre cânticos de "Nunca mais", slogan emblemático que dá nome ao relatório sobre os crimes contra a humanidade cometidos pelo regime militar - e "Milei, lixo, você é a ditadura", em um estrondo de aplausos, gritos, assobios e alguém que, do fosso dos músicos, tocou um trecho da marcha peronista, o espaço do Colón se transformou na representação plástica da crise no país.

Seguindo um roteiro já visto no Brasil com o ex-presidente Jair Bolsonaro, as patrulhas de extrema direita de Milei também conseguiram incutir dúvidas sobre supostas fraudes. Não é um fato negligenciável que, no dia anterior à abertura das urnas, a Câmara Eleitoral argentina tenha convocado os delegados das forças políticas adversárias para "preservar a coexistência democrática".

Além disso, o secretário do órgão, Sebastian Schimmel, tentou tranquilizar os 35 milhões de eleitores explicando que as acusações de uma "fraude colossal" com o envolvimento da gendarmaria no primeiro turno de 22 de outubro são "infundadas" e "desprovidas de argumentos", uma narrativa que pretende apenas "criar um clima de desconfiança".

Mas o desânimo, segundo as vozes na rua, surge também da necessidade de escolher entre o expoente de um governo que levou o país à "ruína económica" e um amador na política, que fala com o cão morto e finge ser uma estrela do rock. "Mais uma piada do que uma dúvida hamletiana", resume o gerente de uma banca de jornal do Microcentro, região esvaziada pela crise financeira e pela pandemia.

Massa, que em diversas ocasiões reivindicou suas raízes italianas como um valor, piscando para os milhões que aqui são descendentes como ele, ganhou o apoio de Elly Schlein, secretária do Partido Democrático da Itália.

Em um vídeo, ela definiu a votação deste domingo como "fundamental para o futuro da Argentina". Como Schlein, nos últimos dias, os presidentes progressistas de Brasil, México e Colômbia se manifestaram em prol do peronista, assim como o chefe de governo da Espanha, Pedro Sánchez.

Por sua vez, Eduardo Bolsonaro, expoente na América Latina da rede de desinformação fundada por Steve Bannon, rei da campanha de Donald Trump, reiterou o apoio a Milei: "Argentinos, não deixem que seu país seja a próxima Venezuela. Está em suas mãos". (ANSA)

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Veja também

Ou use

Último momento

404 Not Found

404 Not Found


nginx