Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Assessor de Lula defende diálogo político na Venezuela

Amorim pediu 'construção de confiança mútua' no país

BRASÍLIA, 06 fevereiro 2024, 09:02

Redação ANSA

ANSACheck

Celso Amorim com o presidente Nicolás Maduro © ANSA/EPA

(ANSA) - O assessor especial para assuntos internacionais do presidente Lula (PT), Celso Amorim, ratificou o apoio ao acordo de Barbados entre o governo e a oposição da Venezuela para a realização de eleições presidenciais neste ano.

"O governo brasileiro favorece a continuidade dos diálogos e incentiva as partes a seguirem construindo confiança mútua", diz uma nota divulgada pelo Palácio do Planalto na noite de segunda-feira (5).

Segundo o comunicado, Amorim transmitiu ao presidente da Assembleia Nacional, Jorge Rodríguez, e ao representante da Plataforma Unitária da oposição, Gerardo Blyde, a mensagem de que o Brasil "acompanha com atenção e interesse a situação política" na Venezuela.

"O Brasil reitera sua conhecida posição contrária às sanções, que violam o direito internacional e penalizam a população", acrescenta a nota.

Amorim participou, em outubro de 2023, dos acordos assinados pelo governo Maduro e a oposição em Barbados.

No entanto, o Tribunal Supremo de Justiça venezuelano ratificou no mês passado a inelegibilidade de María Corina Machado, nome preferido da oposição para desafiar Maduro nas eleições.

Machado disse que gostaria de se encontrar com Lula para falar sobre a situação política na Venezuela e classificou a sentença como "delinquência judicial". (ANSA) 

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Veja também

Ou use

Último momento

404 Not Found

404 Not Found


nginx