/ricerca/brasil/search.shtml?any=
Mostre menos

Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Brasil condena ações de Israel em corte da ONU

Países vivem crise diplomática em meio a conflito

A HAIA, 20 fevereiro 2024, 15:47

Redação ANSA

ANSACheck

Campo de refugiados na Cisjordânia © ANSA/EPA

(ANSA) -  Em audiência nesta terça-feira (20) na Corte Internacional de Justiça (CIJ), a delegação brasileira acusou Israel de anexar territórios palestinos em ações ilegais.

Representada pela diplomata Maria Clara Paula de Tusco, a delegação do Itamaraty instou o tribunal a fazer com que todos saibam as consequências dos atos de Israel e apontou uma indiscutível gravidade.

O Brasil classificou os ataques israelenses como “desproporcionais e indiscriminados”, violando os direitos do povo palestino, citando as construções de colônias e muros, e os confiscos de terras e destruição de casas.

A Corte máxima da ONU convidou governos a se expressarem sobre a questão, antes que seus magistrados também se pronunciem, a pedido da Assembleia Geral da ONU.

A manifestação ocorre em meio a uma crise diplomática entre Brasil e Israel, iniciada a partir de uma declaração de Lula comparando os ataques israelenses à Faixa de Gaza ao Holocausto.


   
   

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Veja também

Ou use