/ricerca/brasil/search.shtml?any=
Mostre menos

Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Itália abre G7 dos Transportes com destaque para Ucrânia

Salvini criticou protagonismo chinês em veículos elétricos

MILÃO, 11 abril 2024, 15:05

Redação ANSA

ANSACheck

Ministro dos Transportes, Matteo Salvini - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

(ANSA) - Começou nesta quinta-feira (11) a reunião ministerial dos Transportes do G7, em Milão, na Itália, que ocupa a presidência de turno do grupo das sete nações mais industrializadas do mundo.

O fórum é presidido pelo vice-premiê e ministro da Infraestrutura e Transportes da Itália, Matteo Salvini, com a participação de seus homólogos dos Estados Unidos, Japão, Alemanha, Reino Unido, França e Canadá.

Também participam a comissária da União Europeia para os Transportes, Adina Valean; o secretário-geral do International Transport Forum, Young Tae Kim; e o ministro da Infraestrutura da Ucrânia, Oleksandr Kubrakov.

Além de ter recebido Kubrakov em uma reunião bilateral, Salvini dedicou à Ucrânia a primeira sessão especial da reunião, que será realizada até sábado (13).

Em seu discurso, ele manifestou “a proximidade e a solidariedade” de todos os participantes “pela capacidade demonstrada por seu povo para a defesa diante da agressão russa”.

O subsecretário italiano de Transportes, Tullio Ferrante, destacou que a guerra já deixou para a Ucrânia uma conta de 33,6 bilhões de euros (R$ 183,26 bilhões) em danos.

“A reconstrução da Ucrânia prevê o fim da guerra. Farei de tudo para que 2024 volte a ser um ano de paz em todos os fronts. Erram os líderes que continuam falando em enviar soldados para combater e morrer”, disse Salvini, pedindo que “a Europa volte a ser uma comunidade que constrói a paz”.

O ministro italiano também criticou os incentivos europeus para a disseminação de carros elétricos, falando em “euro-bobagens impostas por Bruxelas, que beneficiam a China”: “Colocar os carros e furgões a diesel e gasolina na ilegalidade em 10 anos não faz sentido. Esse não é o futuro, é o passado e é um presente para a potência chinesa”, disse, acrescentando querer “valorizar a produção italiana e europeia, em vez do elétrico chinês”.

Antes da reunião, ele ainda se reuniu com diversas empresas italianas do setor, como Atm, Autostrade per l'Italia, Enac, Enav, Fincantieri, Gruppo Fs, Mapei, Gruppo Toto, Trevi, Iveco, Leonardo e Pizzarotti.

 
   

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Veja também

Ou use