Itália abrirá 1º jardim terapêutico para pacientes com Alzheimer

Projeto será criado em parque municipal na cidade de Cesena

Jardim será o primeiro espaço terapêutico público para os pacientes (foto: ANSA)
Jardim será o primeiro espaço terapêutico público para os pacientes (foto: ANSA)

(ANSA) - A cidade de Cesena, na região de Emilia-Romagna, vai criar em 2024 o primeiro jardim terapêutico da Itália para pacientes com mal de Alzheimer em um espaço público.

O plano foi apresentado nesta terça-feira (5) por ocasião da semana da "Maratona de Alzheimer 2023", uma série de iniciativas organizadas pela Fundação homônima para manter a atenção focada nos direitos das pessoas afetadas pela demência, que acontecerá até 10 de setembro.

A ideia do jardim terapêutico foi lançada pela Fundação Maratona de Alzheimer e pela Associação Nacional dos Idosos e Pensionistas (Anap) de Confartigianato, com a colaboração da Câmara Municipal de Cesena.

O projeto é assinado por Andrea Mati, maior especialista nacional em jardins terapêuticos e professor do mestrado em Horticultura Terapêutica da Universidade de Bolonha. Os principais objetivos da área serão aliviar os sintomas da doença e promover a reconexão com a natureza.

O espaço verde especial será construído no coração de Cesena, dentro dos jardins públicos da via Giuseppe Verdi, e contará com duas áreas ao longo de um percurso circular: uma de reativação sensorial e reminiscência de memória de longa duração - surgimento de memórias positivas de infância e juventude - e a área de reabilitação motora.

"É importante que o jardim terapêutico seja colocado em um espaço público não apenas para uso e serviço exclusivo para pessoas com demência, como talvez já aconteça em algumas estruturas especializadas. Esta é uma tentativa de inclusão na comunidade, de envolver também pessoas doentes não hospitalizadas que possam vivenciar este lugar com as suas famílias, sem estigma e vergonha", explicou o prefeito de Cesena, Enzo Lattuca.

Além disso, o jardim terapêutico terá em seu centro um canteiro de plantas aromáticas para reativação sensorial e um sistema de hortas para atividades manuais. O projeto prevê muitas camélias, por causa de sua cor intensa, e árvores como oliveiras e cerejeiras "pelo seu valor cultural, de pequeno porte e com folhagem muito aberta, de forma a evitar a projeção de sombras profundas".

A proposta é a de um balneário, uma viagem à natureza, que ajuda as pessoas com demência e os seus cuidadores a aliviar a ansiedade e a redescobrir momentos de serenidade. (ANSA).