Câncer do rei Charles III foi 'detectado precocemente', diz premiê

Monarca britânico já iniciou tratamento, segundo palácio

Diagnóstico da doença foi destaque nos jornais britânicos (foto: ANSA)
Diagnóstico da doença foi destaque nos jornais britânicos (foto: ANSA)

(ANSA) - O primeiro-ministro do Reino Unido, Rishi Sunak, afirmou nesta terça-feira (6) que o câncer do rei Charles III foi diagnosticado precocemente.

"Felizmente, foi detectado precocemente e agora todos esperam que ele receba o tratamento de que precisa e se recupere totalmente", declarou ele em entrevista à BBC.

Sunak disse ainda que ficou "chocado e triste" com a notícia, mas garantiu que mantém contato regular com o monarca.

O Palácio de Buckingham anunciou na última segunda-feira (5) que Charles III, de 75 anos, foi diagnosticado com uma forma não revelada de câncer após ter sido internado para realizar um procedimento para tratar um aumento da próstata.

Os detalhes da doença, como a região afetada e o estágio, não foram divulgados, mas o monarca já iniciou os "tratamentos regulares". Segundo fontes ouvidas pela imprensa, o câncer não é na próstata.

O rei Charles III se afastará de suas funções públicas durante o tratamento, mas continuará com o seu papel constitucional como chefe de Estado, incluindo o preenchimento da papelada e a realização de reuniões privadas.

De acordo com o Palácio de Buckingham, ele "permanece totalmente positivo" sobre o seu tratamento.

"Muitas famílias no país que ouvem isso terão sido afetadas pela mesma coisa e sabem o que isso significa para todos", acrescentou Sunak, reforçando que o filho da rainha Elizabeth II será acompanhado. "Esperamos superar isso o mais rápido possível". (ANSA).