ONU afirma que situação na Faixa de Gaza é 'apocalíptica'

Organização apontou que 'nenhum lugar é seguro' no enclave

James Elder, porta-voz do Unicef, declarou que é 'impossível' criar áreas seguras no enclave (foto: ANSA)
James Elder, porta-voz do Unicef, declarou que é 'impossível' criar áreas seguras no enclave (foto: ANSA)

(ANSA) - A Organização das Nações Unidas (ONU) alertou nesta terça-feira (5) que a situação na Faixa de Gaza é "apocalíptica".

Em uma mensagem no X, antigo Twitter, o chefe de assuntos humanitários da ONU, Martin Griffiths, comentou que os civis são forçados a fazer "uma escolha impossível atrás da outra" em uma região onde "nenhum lugar é seguro".

"Cada vez que pensamos que as coisas não podem ficar mais apocalípticas em Gaza, elas ficam. As pessoas são obrigadas a se mover novamente, com pouco para sobreviver. Tal desrespeito flagrante pela humanidade básica deve parar", afirmou o britânico.

James Elder, porta-voz do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), declarou que é "impossível" criar áreas seguras no enclave palestino, enquanto Lynn Hastings, coordenadora humanitária da ONU, indiciou que "não existem as condições necessárias para levar ajuda à população de Gaza".

Hastings acrescentou que, desde o reinício do conflito, em 1º de dezembro, pelo menos 700 palestinos foram mortos. (ANSA).