Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

'Para que pressa de acusar alguém?', diz Lula sobre Navalny

Presidente afirmou que vai esperar resultados de investigações

SÃO PAULO, 18 fevereiro 2024, 11:09

Redação ANSA

ANSACheck

Homenagem a Alexei Navalny no lado de fora da Embaixada da Rússia em Londres, Reino Unido © ANSA/EPA

(ANSA) - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) criticou neste domingo (18) a "pressa" de países ocidentais em culpar o regime de Vladimir Putin pela morte do líder opositor russo Alexei Navalny, vítima de um suposto mal súbito na colônia penal onde estava encarcerado na Sibéria.

Em coletiva de imprensa na Etiópia, o mandatário disse que primeiro é necessário "fazer uma investigação para saber do que o cidadão morreu".

"Para que essa pressa de acusar alguém? Sabe há quantos anos estou esperando o mandante do crime da Marielle [Franco]? Seis, e não estou com pressa de dizer quem foi, não quero especulação", afirmou Lula, acrescentando que desconhece se Navalny "estava doente" ou tinha "algum problema".

"Vamos acreditar que os médicos legistas vão dizer 'O cara morreu disso ou daquilo' para você poder fazer um pré-julgamento, porque senão você julga agora que foi não sei quem que mandou matar, e não foi, e depois você vai pedir desculpas?", questionou o presidente, ressaltando que não se pode "banalizar uma acusação".

A colônia penal onde Navalny estava encarcerado informou à mãe e ao advogado do dissidente que ele foi vítima de "síndrome de morte súbita", mas a família e aliados do opositor acusam a Rússia de esconder o corpo. (ANSA)

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Veja também

Ou use

Último momento

404 Not Found

404 Not Found


nginx