/ricerca/brasil/search.shtml?any=
Mostre menos

Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Embaixada de Israel na Itália é fechada por risco de ataque

Medidas de segurança foram elevadas em todas as instituições de Israel

ROMA, 05 abril 2024, 18:18

Redação ANSA

ANSACheck

Embaixada de Israel na Itália é fechada por risco de ataque - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

(ANSA) - A sede da embaixada de Israel em Roma teria sido fechada na manhã desta sexta-feira (5) em meio ao risco de um possível ataque depois que o governo israelense foi acusado de atingir o consulado iraniano em Damasco.

Segundo fontes locais, o prédio na via Michele Mercati, perto da Villa Borghese, teria sido fechado, bem como cerca de 30 outros escritórios diplomáticos em Tel Aviv e em todo o mundo. O jornal Haaretz, citando relatos de diplomatas, garantiu que as medidas de segurança foram elevadas em todas as instituições israelenses.

No início da semana, aviões militares de Israel atingiram o consulado do Irã em Damasco, na Síria, e mataram Mohammad Reza Zahedi, comandante sênior da Guarda Revolucionária do Irã, militares graduados e funcionários dos serviços de inteligência.

Ao todo, 11 pessoas morreram no edifício localizado no bairro Mazzeh, perto também de uma sede das Nações Unidas, organização que condenou a ofensiva.

O governo iraniano responsabilizou Israel pelas consequências da ofensiva e afirmou ter o direito de revidar, além de pedir que o Conselho de Segurança da ONU faça uma reunião de emergência para discutir a agressão.

Questionado sobre o ataque durante uma entrevista, o porta-voz do Exército de Israel, contra-almirante Daniel Hagari, respondeu que "não comenta informações da imprensa estrangeira".

Ontem, Netanyahu convocou o Conselho de Segurança em Jerusalém, no final de um dia cheio de preocupação e alarme.

"Saberemos nos defender e agiremos de acordo com o simples princípio de que prejudicaremos quem nos prejudicar ou quiser nos prejudicar", alertou ele. "Durante anos Teerã trabalhou contra nós tanto diretamente como através dos seus emissários e, portanto, Israel trabalhou contra o Irã e os seus emissários, tanto defensivamente como ofensivamente".

A resposta de Teerã após o ataque israelense ao consulado iraniano em Damasco é tida como certa por muitos analistas e o próprio sistema de defesa de Netanyahu está convencido de que isso irá acontecer.

"Dias complexos nos aguardam, não é certo que o pior já tenha ficado para trás", admitiu o chefe da inteligência militar, Aharon Aliva.

Segundo Hagari, o governo de Israel está pronto para todos os cenários e "as forças estão bem posicionadas em formações defensivas e ofensivas", com "proteção multinível e aeronaves no céu 24 horas por dia".

O Haaretz relata três cenários de possível retaliação: um ataque de drone ou míssil de cruzeiro diretamente do Irã visando a infraestrutura israelense - hipótese que parece menos provável; intensos ataques com mísseis do Líbano ou da Síria através do Hezbollah e outras milícias xiitas ou "ataques às embaixadas israelenses.
   

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Veja também

Ou use