/ricerca/brasil/search.shtml?any=
Mostre menos

Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Polônia diz que está 'pronta' para receber armas nucleares

Rússia advertiu que tomará medidas 'necessárias'

VARSÓVIA, 22 abril 2024, 12:27

Redação ANSA

ANSACheck

Duda alertou que a Rússia vem militarizando cada vez mais a região de Kaliningrado © ANSA/AFP

O presidente da Polônia, Andrzej Duda, afirmou nesta segunda-feira (22) que o país está "pronto" para acolher armas nucleares em seu território.

O chefe de Estado mencionou a prontidão da nação para abrigar o perigoso e poderoso tipo de armamento em uma entrevista ao popular jornal Fakt.

"Caso os nossos aliados decidirem implantar armas nucleares no nosso território, no âmbito da distribuição nuclear para reforçar a segurança do flanco leste da Otan, estaremos preparados", assegurou o mandatário.

Duda ainda alertou que a Rússia vem militarizando cada vez mais a região de Kaliningrado, além de enviar armamentos nucleares para Belarus, grande aliada de Moscou. Os dois territórios fazem fronteira com Varsóvia.

O Kremlin não deixou o assunto sem uma resposta, pois advertiu que, caso precise, vai tomar medidas "necessárias" para "garantir sua segurança".

Apesar das declarações do presidente, o primeiro-ministro da Polônia, Donald Tusk, comentou que se reunirá de forma urgente com Duda para discutir essa questão das armas nucleares.

"Quero saber todos os motivos que levaram o presidente a fazer esta declaração. Me preocupo muito que a Polônia viva em segurança e que esteja bem armada, mas também gostaria que cada iniciativa fosse, antes de qualquer coisa, muito bem preparada por pessoas responsáveis", disse o político.

A Polônia é um dos membros da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) e uma das principais apoiadoras da Ucrânia no conflito contra a Rússia.
   

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Veja também

Ou use