/ricerca/brasil/search.shtml?any=
Mostre menos

Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Quase 500 já morreram ou sumiram no Mediterrâneo Central em 2024

Número representa uma queda de 30% sobre igual período de 2023

TÚNIS, 22 abril 2024, 19:44

Redação ANSA

ANSACheck

Migrantes resgatados pela Guarda Costeira da Líbia © ANSA/EPA

Quase 500 pessoas já morreram ou desapareceram durante travessias clandestinas no Mar Mediterrâneo Central, rota que conecta o norte da África ao sul da Itália, em 2024.
    Segundo dados divulgados pela Organização Internacional para as Migrações (OIM) na Líbia, foram contabilizados ao menos 167 óbitos nesse trecho do Mediterrâneo entre 1º de janeiro e 20 de abril, enquanto 324 indivíduos desapareceram, totalizando 491 fatalidades.
    Apesar de significativo, esse número representa uma queda de 30% sobre igual período de 2023, quando houve 703 mortes ou desaparecimentos no Mediterrâneo Central, de acordo com a própria OIM.
    A organização também informou que 4.942 migrantes foram interceptados no mar e devolvidos à Líbia, onde há inúmeras denúncias de violações de direitos humanos de deslocados internacionais.
    Essa cifra inclui 4.442 homens, 339 mulheres e 161 crianças. (ANSA)

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Veja também

Ou use