Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Países da UE fecham acordo sobre 13º pacote de sanções à Rússia

BRUXELAS, 21 fevereiro 2024, 12:16

Redação ANSA

ANSACheck

Memorial para Alexey Navalny em Malmo, na Suécia © ANSA/EPA

(ANSA) - Os embaixadores dos Estados-membros da União Europeia chegaram nesta quarta-feira (21) a um acordo de princípios sobre a 13ª rodada de sanções contra a Rússia no âmbito da invasão à Ucrânia.

O compromisso foi anunciado pela Bélgica, que ocupa a presidência rotativa da UE e disse que trata-se de "um dos pacotes mais amplos" preparados pelo bloco. Até mesmo a Hungria, crítica do regime de sanções contra Moscou, apoia a medida.

O texto deve ser aprovado formalmente no próximo dia 24 de fevereiro, no segundo aniversário da invasão russa à Ucrânia, e inclui quase 200 pessoas e empresas, de acordo com o alto representante da União Europeia para Política Externa, Josep Borrell.

Com isso, o número de indivíduos e entidades russos sancionados deve passar de 2 mil. "Com este pacote, estamos tomando novas ações contra empresas envolvidas na evasão [às sanções anteriores] e nos setores de defesa e militar", disse Borrell.

A expectativa é de que a nova rodada de sanções também englobe a morte do dissidente russo Alexei Navalny, vítima de um suposto mal súbito na colônia penal no Ártico onde estava encarcerado. (ANSA)

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Ou use

Último momento

404 Not Found

404 Not Found


nginx