Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Amanda Knox está grávida do segundo filho

Americana é símbolo de caso judicial midiático na Itália

ROMA, 21 agosto 2023, 13:13

Redação ANSA

ANSACheck

Amanda Knox foi absolvida de homicídio na Itália - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

(ANSA) - A americana Amanda Knox, símbolo de um dos casos judiciais mais midiáticos da Itália nas últimas décadas, está grávida de seu segundo filho.

A gestação foi divulgada pela própria Knox em seu perfil no Instagram, com uma foto que a mostra sentada em um banco e com a barriga já grande.

Ela já é mãe da menina Eureka, de quase dois anos de idade, fruto de seu relacionamento com Christopher Robinson.

Knox chegou a ser presa e condenada pelo assassinato de sua colega de quarto, a britânica Meredith Kercher, crime ocorrido em 1º de novembro de 2007, em Perúgia, mas acabou absolvida pela Suprema Corte da Itália em 2015.

O italiano Raffaele Sollecito, namorado da americana na época do homicídio, também foi sentenciado e posteriormente absolvido pelo crime.

Até hoje, o único condenado em definitivo é o marfinense Rudy Guede, que pegou 16 anos de prisão e já cumpriu sua pena. (ANSA)

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Ou use

Último momento

404 Not Found

404 Not Found


nginx