Veneza fará teste de cobrança para acesso a centro histórico

Medida será experimentada em 29 dias ao longo do ano que vem

Turistas lotam Veneza durante verão (foto: ANSA)
Turistas lotam Veneza durante verão (foto: ANSA)

(ANSA) - O município de Veneza, joia turística da Itália, iniciará no segundo trimestre do ano que vem a cobrança experimental de uma taxa de acesso para viajantes que fazem "bate e volta" no centro histórico da cidade.

O anúncio foi feito pelo prefeito Luigi Brugnaro, que explicou que a iniciativa será testada em 29 dias durante o ano que vem inteiro, começando pelo período entre 25 de abril e 5 de maio.

Essas datas englobam os feriados pelo Dia da Libertação (25 de abril) e pelo Dia do Trabalhador (1º de maio).

A cobrança também será realizada em todos os fins de semana até 14 de julho, com exceção de 1º e 2 de junho, quando a Itália celebra a Festa da República.

A contribuição de acesso será obrigatória das 8h30 às 16h e custará cinco euros, valor equivalente hoje a cerca de R$ 26, mas não atingirá quem pernoita no centro histórico.

"Trata-se de um experimento nunca feito no mundo. A cidade é complexa e frágil, mas viva, e temos a obrigação de tomar medidas porque em certos momentos do ano há muita lotação", justificou Brugnaro.

A taxa será paga por meio de um aplicativo, e o turista ganhará um código QR que será checado em um dos oito postos de controle na entrada do centro histórico.

A prefeitura veneziana já ensaia há vários anos a criação de um sistema de reservas a pagamento para adeptos do "bate e volta" entrarem no coração da cidade, porém adiou a iniciativa várias vezes.

Se o teste der certo, Veneza estuda instituir um modelo de cobrança permanente, com valores diferentes para cada dia, dependendo da expectativa de fluxos turísticos. (ANSA)