Brasil amplia presença em maior feira de vinhos da Itália

Vinitaly será realizada entre 14 e 17 de abril, em Verona

Vinitaly em 2023 (foto: ANSA)
Vinitaly em 2023 (foto: ANSA)

(ANSA) - A bandeira verde e amarela do Brasil estará entre as presentes na 56ª edição da Vinitaly, maior feira de vinhos da Itália, promovida por Veronafiere entre 14 e 17 de abril.

O anúncio foi feito pelo embaixador do Brasil na Itália, Renato Mosca, por ocasião do evento “Assaggi di tradizione” (Degustações de tradição, em português) em Roma, que celebrou o 150º aniversário da imigração italiana ao país sul-americano.

A presença também comemora a forte ligação entre as duas comunidades, com troca crescente de fluxos turísticos, também graças ao projeto institucional italiano para o turismo de raízes, e aos conhecimentos nos setores de vitivinicultura e gastronomia.

"Os italianos que chegaram ao Brasil deram uma forte contribuição para a diversidade cultural. A viticultura, não por acaso, desenvolveu-se em regiões com forte presença de imigrantes italianos. Hoje, o Brasil é o 14º maior produtor de vinho do mundo e, em termos de consumo, ocupa o 13º lugar, e o Brasil estará presente na Vinitaly com sua própria agência de promoção para relatar essa crescente realidade produtiva", disse Mosca.

"A Itália é o maior produtor do mundo, com 56 milhões de hectolitros de vinho, e o Vêneto é a primeira região, com 11 milhões de hectolitros de vinho. E no Brasil, o Vêneto deixou sua marca. Basta pensar que entre os grandes estão Salton, originário de Cison di Valmarino, e Adriano Miolo, hoje o maior exportador de vinhos do Brasil e originário de Piombino Dese", enfatizou o governador do Vêneto, Luca Zaia.

"Aqui, na Embaixada do Brasil, nos sentimos realmente em casa, e o mesmo acontece quando estamos no Brasil. Estamos à beira de uma Vinitaly cada vez mais internacional e mais voltada para os negócios, com mais de 4 mil expositores e 1,2 mil principais compradores de 65 países, um aumento de 20% em relação à edição de 2023", disse o presidente da Veronafiere, Federico Bricolo.

"Estamos honrados em receber uma representação do Brasil em um distrito de feiras esgotado, com mais de 100 mil metros quadrados para pavilhões e estandes”, acrescentou Bricolo, lembrando que, em 2018, a empresa de eventos vislumbrou o potencial de exportação do vinho italiano para o Brasil e lançou, em Bento Gonçalves, a feira “Wine South America” para promover o intercâmbio econômico e cultural entre os países.

“No mercado verde-amarelo o negócio do vinho cresceu, com importações que em 2023 atingiram pouco mais de 430 milhões de euros. Ainda há um grande potencial com mais de 200 milhões de consumidores que se aproximaram recentemente do mundo de Baco”, acrescentou.

“Cresceu a atenção dos produtores vitivinícolas italianos em relação ao Brasil, com a Itália ocupando o quinto lugar entre os fornecedores do gigante sul-americano, com 8,2% de participação de mercado. E em 2023, no Brasil, foram adquiridos vinhos italianos no valor de mais de 36 milhões de euros, com um crescimento tendencial de 2%", concluiu.

(ANSA).