UE retira agricultura de esforço climático para 2040

Novo texto não prevê metas específicas para o setor

Protesto de agricultores diante do Parlamento Europeu, em Estrasburgo, França (foto: ANSA)
Protesto de agricultores diante do Parlamento Europeu, em Estrasburgo, França (foto: ANSA)

(ANSA) - O poder Executivo da União Europeia excluiu a agricultura do esforço para a redução dos gases causadores do efeito estufa, em mais uma medida para tentar esfriar a marcha dos tratores nos países do bloco.

Após ter retirado uma proposta que previa reduzir pela metade o uso de pesticidas até 2030, a Comissão Europeia apresentou nesta terça-feira (6) seu novo objetivo climático para 2040, que não inclui mais nenhuma meta numérica específica para a agricultura.

Um rascunho do texto recomendava que o setor cortasse suas emissões em 30% em relação a 2015, mas o trecho foi excluído. O documento divulgado nesta terça sugere apenas uma redução de 90% até 2040 na comparação com 1990, mas para a economia como um todo.

O novo texto diz que a agricultura deve "exercer um papel na transição" verde, ao mesmo tempo em que "contribui para a soberania alimentar europeia".

Os objetivos para 2040 são uma etapa intermediária da meta da UE de alcançar a neutralidade nas emissões de carbono até 2050, mas ainda trata-se apenas de recomendações, que só devem ser formalizadas como propostas pela Comissão Europeia que surgirá das eleições comunitárias de junho.

Nos últimos dias, manifestações de agricultores com tratores e outros veículos agrícolas bloquearam ruas e estradas em diversos países da UE, como Alemanha, Bélgica, França e Itália.

A categoria reclama sobretudo do que considera um excesso de regulação ambiental por parte da União Europeia, mas também contra o acordo comercial com o Mercosul, cujas negociações estão travadas. (ANSA)