/ricerca/brasil/search.shtml?any=
Mostre menos

Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Astrônomos italianos estudarão amostras do asteroide Bennu

Material chegou à Terra no último domingo (24)

ROMA, 25 setembro 2023, 10:19

Redação ANSA

ANSACheck

Cápsula com amostras do asteroide Bennu pousou em base em Utah, nos EUA © ANSA/EPA

(ANSA) - Três cientistas italianos estão entre os cerca de 200 pesquisadores de todo o mundo que estudarão as amostras do asteroide Bennu, que chegaram à Terra no último domingo (24) e podem conter dados preciosos sobre o processo de formação do Sistema Solar.

A informação foi revelada à ANSA por Maurizio Pajola, astrônomo do Instituto Nacional de Astrofísica (Inaf) e que irá a Houston, nos Estados Unidos, na próxima sexta-feira (29) para obter as primeiras informações sobre o material.

A cápsula lançada na Terra pela sonda Osiris-Rex deve ser aberta na semana que vem, e o anúncio dos primeiros resultados das análises pela Nasa está previsto para 11 de outubro.

Além de Pajola, os outros italianos que estudarão os materiais são Elisabetta Dotto e John Brucato, ambos também do Inaf.

A cápsula liberada pela sonda Osiris-Rex contém uma amostra de 250 gramas retirada do solo do Bennu, a maior já coletada em um asteroide no espaço e transportada para a Terra.

A missão foi lançada em setembro de 2016, e o material foi capturado em 2020.

Cientistas acreditam que o asteroide Bennu seja remanescente do processo de formação do Sistema Solar e que ele contém compostos orgânicos que, na Terra, deram origem à vida como a conhecemos.

Após cumprir a missão, a Osiris-Rex partiu para uma nova viagem, desta vez em direção ao asteroide Apophis, sendo rebatizada como Osiris-Apex. Ela deve chegar ao corpo celeste apenas em 2029. (ANSA)

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Veja também

Ou use