/ricerca/brasil/search.shtml?any=
Mostre menos

Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Artista italiano Renato Calligaro morre aos 95 anos

Pintor e quadrinista morou em São Paulo até o golpe de 64

UDINE, 14 setembro 2023, 16:47

Redação ANSA

ANSACheck

Renato Calligaro morou no Brasil (Foto: Reprodução) - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

(ANSA) - Morreu nesta quinta-feira (14), aos 95 anos de idade, o pintor e cartunista italiano Renato Calligaro, que considerava o Brasil como sua pátria de escolha até 1964, quando foi obrigado a deixar o país após o golpe militar.

O prolífico autor deu vida a personagens que marcaram a história dos quadrinhos de sátira política, como o operário ex-partigiano Oreste, a reacionária Donna Celeste, o intelectual Gonzalo, o jovem operário Nicola e a estudante Totina.

No arco de sua longa carreira Calligaro trabalhou para diversas publicações italianas, além do francês Le Monde.

Em 1967 começou a se dedicar ao quadrinho de sátira, desenvolvendo e tornando visíveis as problemáticas formais da literatura e da pintura do século 20.

Seus poemas de textos e figuras são frutos dessa experiência, criando uma nova dialética entre texto escrito e imagem, com uma constante troca entre os dois níveis de comunicação.

O friulano morava em Buja, em Údine, e também já viveu na Argentina.

A prefeitura de Údine publicou uma nota de condolências: "Artista que estabeleceu na pintura sua linguagem privilegiada, em uma síntese inédta com a atividade de ilustrador e quadrinista que acompanhou todo o seu caminho professional".

"Foi um artista aprecisado a nível nacional e internacional, além de autor de uma narrativa artística absolutamente original.

Se vai um homem de inteligente ironia e personalidade militante que elevou a arte do quadrinho e da ilustração a um justo reconhecimento cultural e artístico", concluiu o secretário de Cultura da cidade.
   

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Veja também

Ou use