/ricerca/brasil/search.shtml?any=
Mostre menos

Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Livro póstumo de Michela Murgia será lançado em 9 de janeiro

Escritora italiana faleceu em agosto em virtude de um câncer

ROMA, 26 dezembro 2023, 12:52

Redação ANSA

ANSACheck

Michela Murgia travou uma batalha contra um câncer renal - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

(ANSA) - Um livro póstumo da romancista, dramaturga e jornalista italiana Michela Murgia, que morreu em agosto, aos 51 anos, será lançado em 9 de janeiro de 2024.

A obra, que foi batizada como "Dare la vita", reúne seus pensamentos durante o último período de sua vida. Ela travou por meses uma comovente e pública batalha contra um câncer renal.

Editado por Alessandro Giammei, o livro já está entre os títulos mais aguardados do próximo ano, de acordo com a editora responsável pela publicação.

"É um livro comovente sobre família. Era para ser apenas sobre barriga de aluguel, mas se tornou um livro mais profundo sobre o significado de paternidade e parentesco", disse Giammei em entrevista à ANSA.

Escritora e ensaísta consagrada, Murgia militava politicamente pela esquerda e tinha como bandeiras a defesa da autonomia da Sardenha, o feminismo, os direitos da comunidade LGBTQIA+ e o acolhimento a migrantes.
   

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Veja também

Ou use