Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Ministério Público de Milão vai apurar polêmica com Ferragni

Influenciadora foi multada por prática comercial desleal

MILÃO, 20 dezembro 2023, 13:11

Redação ANSA

ANSACheck

Chiara Ferragni foi multada por prática comercial desleal - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

(ANSA) - O Ministério Público de Milão abriu nesta quarta-feira (20) um processo de instrução para apurar o caso envolvendo a influenciadora italiana Chiara Ferragni e a empresa Balocco, fabricante do pandoro, por prática comercial desleal na promoção de uma campanha beneficente.

A decisão de avaliar a polêmica, sem qualquer hipótese de crime ou suspeitos, foi tomada após a apresentação de uma denúncia ao Ministério Público por fraude da Codacons, associação italiana de defesa dos direitos dos consumidores.

Desta forma, o procurador Marcello Viola encaminhou o processo ao departamento antifraude liderado pelo adjunto Eugenio Fusco.

Ferragni, uma das personalidades mais famosas da Itália, foi multada em pouco mais de 1 milhão de euros por prática comercial desleal na promoção de um pandoro para caridade.

A sanção foi aplicada pela Autoridade de Tutela das Comunicações e do Mercado, órgão antitruste italiano, contra duas empresas de Ferragni: Fenice (400 mil euros) e TBS Crew (675 mil euros). Já a Balocco, fabricante do bolo natalino, foi multada em 420 mil euros (R$ 2,3 milhões).

A punição refere-se a uma denúncia apresentada pela Codacons contra a campanha de uma linha de pandoro chamada "Pandoro Pink Christmas" e associada à influenciadora no fim de 2022.

A peça publicitária fazia acreditar que os recursos arrecadados com a venda do bolo natalino seriam repassados ao Hospital Regina Margherita, em Turim. No entanto, o órgão antitruste apurou que, na verdade, a doação - 50 mil euros - já tinha sido feita pela Balocco meses antes da campanha.
   

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Veja também

Ou use

Último momento

404 Not Found

404 Not Found


nginx