/ricerca/brasil/search.shtml?any=
Mostre menos

Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

EUA pedem mais neutralidade de Lula na guerra

BRASÍLIA, 05 maio 2023, 08:03

Redação ANSA

ANSACheck

Presidente Lula deu declarações controversas sobre guerra na Ucrânia © ANSA/EPA

(ANSA) - A embaixadora dos Estados Unidos na ONU, Linda Thomas-Greenfield, questionou a proximidade do Brasil com a Rússia no que diz respeito à proposta de paz defendida pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva para a guerra da Ucrânia.

"Não estamos dizendo que o Brasil não deva se engajar na busca pela paz, estamos dizendo que esse compromisso deve levar em conta a Ucrânia e não pode ser uma negociação baseada em premiar a Rússia por ter tomado territórios ucranianos", afirmou.

A enviada do presidente Joe Biden foi recebida na última quinta-feira (4) pelo assessor internacional de Lula, o ex-chanceler Celso Amorim.

Thomas-Greenfield disse que "incentivou" a visita que Amorim deve realizar em breve à Ucrânia, após ter sido recebido por Vladimir Putin em Moscou.

Lula foi criticado pela Casa Branca após ter afirmado que Rússia e Ucrânia são igualmente responsáveis pelo conflito, iniciado em fevereiro de 2022 com a invasão das tropas de Moscou.

No mês passado, o presidente recebeu no Palácio da Alvorada o ministro das Relações Exteriores russo, Sergei Lavrov. (ANSA)

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Veja também

Ou use