/ricerca/brasil/search.shtml?any=
Mostre menos

Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Equador conclui inquérito sobre assassinato de presidenciável

Testemunha teria revelado mandante do crime contra Villavicencio

QUITO, 10 outubro 2023, 13:59

Redação ANSA

ANSACheck

Manifestação no Equador © ANSA/EPA

(ANSA) - Foram concluídas, no Equador, as investigações sobre o homicídio do candidato centrista à presidência, Fernando Villavicencio, ocorrido em 9 de agosto. A decisão foi tomada faltando poucos dias para o segundo turno das eleições do próximo domingo (15).

A procuradoria-geral do Estado informou que recolheu elementos probatórios para identificar a autoria do delito.

Os investigadores também informaram que uma testemunha depôs, sob juramento, revelando quem teria dado a ordem de cometer o assassinato.

Horas antes do anúncio, o ex-presidente Rafael Correa disse nas redes sociais que a testemunha teria dado seu nome com o objetivo de criar um cenário para evitar que a candidata de seu partido de esquerda, Luisa González, vença as eleições de 15 de outubro, quando enfrentará o candidato conservador, Daniel Noboa.

"Nos informam que estão fazendo pressão sobre o único assassino que deixaram vivo para que dê um falso testemunho contra nós em troca de sua vida, livre e com uma nova identidade", escreveu Correa.
   

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Veja também

Ou use