/ricerca/brasil/search.shtml?any=
Mostre menos

Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Brasil quer Putin na cúpula do G20 em 2024, diz Celso Amorim

Presidente russo é alvo de mandado de prisão do TPI

BRASÍLIA, 18 dezembro 2023, 16:11

Redação ANSA

ANSACheck

G20 begins working meetings under Brazilian presidency © ANSA/EPA

(ANSA) - O governo do Brasil gostaria que o presidente russo, Vladimir Putin, participasse pessoalmente na cúpula do G20 no Rio de Janeiro em novembro de 2024, que, sem ele, ficaria "incompleta".

A declaração foi dada pelo assessor especial da presidência Celso Amorim, em uma entrevista ao portal UOL.

"Queremos que Putin venha. Uma conferência do G20 sem a Rússia seria incompleta. Em assuntos como a reforma da governança global, como podemos ignorar a Rússia? A Rússia é um ator necessário. A eventual ausência vai contra os interesses do G20", afirmou.

Putin é alvo de um mandado de prisão emitido pelo Tribunal Penal Internacional de Haia (TPI) por crimes de guerra cometidos na Ucrânia.

O Brasil, como signatário do Tratado de Roma que estabelece o Tribunal, é obrigado a executar o mandado de prisão no caso de Putin entrar no país.

"O TPI foi criado quando eu era embaixador nas Nações Unidas e foi visto como um avanço. Mas o fato é que as grandes potências foram excluídas. Isso só vale para os outros? Apenas para os países declarados inimigos do Ocidente. Onde estão os outros que cometeram crimes de guerra?", questionou Amorim.
   
   

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Veja também

Ou use