/ricerca/brasil/search.shtml?any=
Mostre menos

Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Ex-premiê da Itália entrega mais documentos a júri contra Meloni

Giuseppe Conte acusa premiê de difamação na Câmara

ROMA, 30 janeiro 2024, 18:34

Redação ANSA

ANSACheck

Giuseppe Conte pediu júri de honra contra Meloni - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

(ANSA) - O líder do partido antissistema Movimento 5 Estrelas (M5S) e ex-premiê da Itália Giuseppe Conte teria apresentado nesta terça-feira (30) novos documentos ao júri de honra da Câmara, onde acusa a atual primeira-ministra, Giorgia Meloni, de difamação.

O júri se reuniu nesta terça para a elaboração de um relatório e deve levar uma decisão ao plenário até 9 de fevereiro.

Enquanto os trabalhos não forem encerrados, não há nenhuma regra que impeça o júri de verificar novos documentos.

O júri de honra está previsto no artigo 58 do regimento da Câmara e prevê que, "durante um debate, se um deputado for acusado de fatos que prejudicam sua reputação, poderá solicitar ao presidente da Casa a nomeação de uma comissão para julgar a validade da acusação".

Esta é a segunda vez desde o início da legislatura da Itália que o júri honorário é constituído.

Em dezembro, Meloni acusou o governo liderado por Conte de ter dado o seu consentimento ao Mecanismo Europeu de Estabilidade (MEE), em janeiro de 2021, contra a opinião do Parlamento, sem avisar os italianos, sob o manto da escuridão".

Na ocasião, ela mostrou um fax no qual o então ministro das Relações Exteriores, Luigi Di Maio, autorizou a reforma do mecanismo com uma assinatura colocada no dia seguinte ao fim do governo Conte.

O documento era datado de 20 de janeiro de 2020, quando o ex-premiê estava em funções apenas para assuntos da atualidade, já que o governo havia renunciado e não poderia tomar tal atitude.

Para Meloni, "essa folha demonstra a própria falta de seriedade de um governo que antes de arrumar as caixas deixou esse pacote para o próximo governo".

Conte refutou as acusações, que classificou como "mentiras difamatórias".
   

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Veja também

Ou use