Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

PF conclui inquérito sobre briga com Alexandre de Moraes em Roma

Texto apontou injúria contra filho, mas não indiciou ninguém

ROMA, 15 fevereiro 2024, 18:26

Redação ANSA

ANSACheck

Caso ocorreu no Aeroporto de Roma © ANSA/EPA

(ANSA) - A Polícia Federal (PF) concluiu o inquérito sobre a briga entre a família do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes e uma família do interior paulista em julho de 2023 no Aeroporto de Roma.

A polícia afirmou que Roberto Mantovani Filho cometeu crime de injúria contra Alexandre Barci de Moraes, filho do ministro, mas não indiciou ninguém.

As informações foram divulgadas pela TV Globo.

Segundo a PF, as imagens registradas pelas câmeras do aeroporto mostram o momento em que Mantovani Filho se dirige a Barci de Moraes e o atinge no rosto, deslocando seus óculos.

A polícia destacou que o gesto foi revidado, até que um homem se colocou entre os dois.

"Tal conduta se amolda ao tipo penal da injúria real, que se caracteriza pelo emprego de violência ou vias de fato para ofender a dignidade ou o decoro de alguém”, escreveu a PF.

A defesa de Mantovani afirmou que houve um desentendimento verbal e negou que o empresário tivesse começado as ofensas.

As imagens fornecidas pelo aeroporto italiano não continham áudio, prejudicando a apuração, ainda segundo o inquérito.

A justificativa para não pedir o indiciamento foi o fato de se tratar de crime de menor potencial ofensivo ocorrido no exterior.

O inquérito será enviado ao STF, onde o caso está sob a relatoria do ministro Dias Toffoli.

 
   

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Veja também

Ou use

Último momento

404 Not Found

404 Not Found


nginx