/ricerca/brasil/search.shtml?any=
Mostre menos

Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Cientistas italianos desenvolvem sonda capaz de 'buscar' tumores

ROMA, 21 julho 2023, 17:51

Redação ANSA

ANSACheck

Pesquisadores italianos desenvolveram nova ferramenta contra câncer - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

(ANSA) - Pesquisadores italianos desenvolveram uma sonda capaz de buscar tumores que permite identificar com precisão os tecidos doentes a serem retirados durante um procedimento cirúrgico.

A ferramenta inovadora tem como objetivo guiar a mão do médico cirurgião exatamente ao local da lesão, por mais microscópica que seja e independentemente da posição.

A sonda, desenvolvida pelo Instituto Nacional de Física Nuclear (Infn) e pela Universidade Sapienza de Roma, foi testada em 20 pacientes em um estudo clínico realizado no Instituto Europeu de Oncologia de Milão (Ieo) e demonstrou sua eficácia.

No momento, o instrumento é específico para tumores neuroendócrinos, que podem afetar órgãos muito diferentes como intestino, pâncreas, pulmão, tireoide e outras glândulas. No entanto, os pesquisadores já trabalham para estender seu uso a outros tipos de tumores.

De acordo com o estudo, o instrumento é projetado para detectar pósitrons, ou seja, as antipartículas de elétrons, que são emitidas por radiofármacos comumente usados para marcar tumores.

"Até hoje, a cirurgia guiada por rádio usou sondas de raios gama, que não funcionam quando o que você quer revelar está perto de órgãos que absorvem muitos radiofármacos, como no abdômen", explicam Francesco Collamati, do Infn, e Riccardo Faccini, da Sapienza, dois dos autores do estudo coordenado por Emilio Bertani e Francesco Ceci, do Ieo.

Segundo os pesquisadores, "uma sonda como a que foi desenvolvida, que detecta pósitrons em vez de fótons, permite identificar exatamente formas específicas de câncer em áreas do corpo onde de outra maneira seria impossível detectá-las".

"Graças a essa ferramenta, portanto, aproxima-se o objetivo da cirurgia de precisão, capaz de retirar nada mais e nada menos do que o necessário para cicatrizar", explica Bertani.

Por fim, o coordenador do estudo reforça que "é importante lembrar que, para os tumores neuroendócrinos, a cirurgia é a única forma de cura radical". "Infelizmente, porém, até 30% das operações não removem completamente o tumor e as metástases recorrem em 10% dos casos. A nova sonda representa, portanto, grande avanço e esperança no tratamento desses tumores", conclui.
   

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Veja também

Ou use