Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Mulher que ajudou Messina Denaro é condenada a 13 anos de prisão

Lorena Lanceri cuidou do mafioso enquanto ele estava escondido

PALERMO, 12 janeiro 2024, 11:10

Redação ANSA

ANSACheck

Italiana também manteve um relacionamento amoroso com o chefe mafioso - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

(ANSA) - O Juiz de Audiência Preliminares (GUP) de Palermo condenou nesta sexta-feira (12) Lorena Lanceri, mulher que cuidou do líder mafioso Matteo Messina Denaro, a 13 anos e oito meses de prisão.

A italiana, que auxiliou o criminoso durante meses enquanto ele estava escondido, permanecerá atrás das grades por favorecimento com método mafioso.

O marido de Lanceri, Emanuele Bonafede, pegou seis anos e oito meses de detenção por cumplicidade.

O casal abrigou "de maneira contínua e por numerosos dias", em sua própria residência, Denaro. O mafioso também ia ao apartamento de ambos para refeições e entrava e saía do local sem ser incomodado.

Bonafede é sobrinho do líder do clã mafioso em Campobello di Mazara, na Sicília, e irmão de Andrea Bonafede, que era dono de um dos esconderijos do criminoso e emprestou sua identidade para que Denaro fizesse seus tratamentos médicos.

"Eles permitiram que Denaro passasse muitas horas em completa tranquilidade e se encontrasse com inúmeras pessoas", disseram os investigadores.

As forças de ordem apontaram que o mafioso dava presentes ao casal, como um relógio de cerca de 6,3 mil euros (R$ 33,5 mil), e mantinha um relacionamento com Lanceri, que tinha o codinome Diletta.
   

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Veja também

Ou use

Último momento

404 Not Found

404 Not Found


nginx