/ricerca/brasil/search.shtml?any=
Mostre menos

Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Vice-premiê da Itália compara Hamas a 'SS e Gestapo'

Antonio Tajani falou em 'perseguição científica' a judeus

ROMA, 27 janeiro 2024, 10:25

Redação ANSA

ANSACheck

Flores no túmulo de Luciana Pacifici, em Nápoles, vítima das leis raciais contra judeus - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

(ANSA) - O vice-premiê e ministro das Relações Exteriores da Itália, Antonio Tajani, em discurso neste sábado (27), classificou o “antissemitismo e o Hamas” como os novos “SS e Gestapo” (forças policiais nazistas), falando em “perseguição científica” aos judeus.

No entanto, ele ressaltou: “Devemos garantir o respeito aos direitos da população civil palestina, há muitas vítimas. Não são militantes do Hamas, e eu disse isso a Israel”.

"A população civil deve ser sempre preservada. Estamos fazendo tudo o que podemos, e para ajudar a população civil palestina, construiremos um hospital de campanha, provavelmente do lado egípcio na fronteira de Rafah, para tratar as crianças palestinas feridas”, disse.

Após passar dois dias em visita a Israel, Líbano e Cisjordânia, Tajani voltou a destacar o acordo que permitirá que cerca de 100 crianças palestinas feridas saiam da Faixa de Gaza para receber tratamento na Itália.

"Esta é uma operação humanitária que a Itália conduziu em conjunto com Israel para ajudar o povo palestino que sofre, ou seja, não o Hamas, mas as vítimas civis", disse.

"Existem iniciativas para enfrentar o delicado tema da libertação de reféns e da entrada de ajuda à população civil. Espero que tenham sucesso. São sempre coisas muito complicadas que requerem tempo e sigilo. Mas quando têm sucesso, trazem resultados positivos, aliviando pelo menos o sofrimento da população", afirmou.

O chanceler disse que, durante a viagem, viu imagens “de um recém-nascido sendo colocado em um forno crematório dentro de sua própria casa, enquanto a mãe era violentada por vinte terroristas. Em seguida, ela foi morta enquanto via seu filho queimando vivo no forno”: “Essas são coisas que ninguém jamais fez”.

 
   

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Veja também

Ou use