Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Ativistas ocupam consulado húngaro em Veneza por 'caso Salis'

Italiana foi detida em Budapeste e acorrentada em julgamento

VENEZA, 09 fevereiro 2024, 13:34

Redação ANSA

ANSACheck

Manifestantes pedem libertação da italiana presa na Hungria - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

(ANSA) - Um grupo de manifestantes realizou nesta sexta-feira (9) um protesto no consulado húngaro em Veneza para exigir a libertação de Ilaria Salis, militante antifascista acusada de agressão contra ativistas de extrema-direita e detida em Budapeste.

A professora de 39 anos, que supostamente atacou dois neonazistas em fevereiro passado, foi levada a uma audiência no último dia 29 de janeiro acorrentada pelas mãos, pés e cintura, em imagens que chocaram a Europa.

Ao todo, 30 membros do centro social de esquerda "Rivolta" ocuparam as instalações na Piazzale Roma ao mesmo tempo que o ministro da Justiça da Itália, Carlo Nordio, visitava a cidade vizinha de Pádua e apelaram pela "libertação de Ilaria Salis imediatamente".

"Estamos aqui porque queremos a sua liberdade, porque este julgamento é uma farsa que pretende apenas punir o antifascismo, em um estado onde as patrulhas fronteiriças contra migrantes não são apenas toleradas, mas promovidas", afirmaram os ativistas.

Para os manifestantes, esta "é uma política antidemocrática".

"Somos todos antifascistas", gritaram eles, que foram acompanhados por agentes da Divisão de Investigações Gerais e Operações Especiais (Digos) de Veneza.

Durante o protesto, que terminou sem incidentes, os ativistas também reiteraram a necessidade de proteger os direitos humanos de Salis e daqueles que se encontram na mesma situação e atacaram o governo da premiê italiana, Giorgia Meloni, acusando-o de endurecer as penas e intervir sempre numa perspectiva repressiva.

O ato foi alvo de críticas por parte da senadora veneziana Mara Bizzotto, vice-presidente do partido ultranacionalista Liga no Palazzo Madama.

"O que aconteceu em Veneza, onde os centros sociais ocuparam o Consulado Húngaro, é muito grave. Sabe-se, segundo relatos da mídia, que Salis e seus amigos dos centros sociais são especialistas em ocupações. Será que uma certa classe política de esquerda, democrática apenas nas palavras, se distanciará destas ações inaceitáveis?", questionou ela.

Salis foi presa em Budapeste em fevereiro de 2023, após uma manifestação contra um comício neonazista que celebrava o "Dia de Honra", em homenagem a um regimento nazista da Segunda Guerra Mundial. Ela foi acusada de três denúncias de tentativa de agressão e acusada de fazer parte de uma organização de extrema esquerda.

No entanto, a italiana nega as acusações, que podem levá-la a até 24 anos de prisão. Relatos recentes divulgados pela imprensa apontam que Salis enfrenta condições precárias na prisão, como percevejos, ratos, sujeira e punições desumanas, o que provocou um protesto público na Itália.

A família e os advogados de Salis pedem que ela seja libertada para prisão domiciliar na Hungria ou na Itália, enquanto se aguarda a conclusão de seu julgamento, cuja data foi adiada para 24 de maio.
   

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Veja também

Ou use

Último momento

404 Not Found

404 Not Found


nginx