Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Viúva de Navalny diz que continuará com trabalho do marido

Yulia Navalnaya acusou Putin de matar o dissidente russo

MOSCOU, 19 fevereiro 2024, 14:05

Redação ANSA

ANSACheck

Opositor russo Alexei Navalny junto com sua esposa, Yulia Navalnaya - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

(ANSA) - A advogada Yulia Navalnaya, viúva do ativista Alexei Navalny, acusou o presidente da Rússia, Vladimir Putin, de ter matado seu marido e declarou que dará continuidade ao trabalho do opositor, falecido na última sexta-feira (16).

As declarações de Navalnaya, de 47 anos, foram publicadas nas redes sociais. O vídeo tem cerca de nove minutos de duração e a russa endureceu o discurso em relação ao mandatário do país.

"Desejo viver em uma Rússia livre e quero construir uma Rússia livre. Peço que vocês fiquem ao meu lado e compartilhem a raiva comigo contra aqueles que ousaram matar o nosso futuro", disse.

Na gravação, a viúva de Navalny ainda afirmou que seu marido foi morto com novichok, uma substância neurotóxica que ataca o sistema nervoso e interrompe processos essenciais do corpo humano, como a respiração.

"Eles mentem maldosamente e escondem o seu corpo à espera que os vestígios de mais um envenenamento por Novichok de Putin desapareçam", declarou.

Por fim, a advogada garantiu que descobrirá quem teria matado Navalny e como o falecimento ocorreu. Ela prometeu que divulgará os nomes dos responsáveis e mostrará seus rostos.

A colônia penal onde Navalny estava encarcerado, que fica localizada nas proximidades do Círculo Polar Ártico, disse para a mãe do opositor que ele foi vítima de "síndrome de morte súbita", mas a família e aliados do dissidente acusam a Rússia de esconder seu corpo.

A porta-voz de Navalny, Kira Yarmysh, afirmou que o corpo do opositor só será devolvido à família nos próximos 14 dias. De acordo com os investigadores, o corpo do ativista será submetido a “testes químicos”.

   

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Veja também

Ou use

Último momento

404 Not Found

404 Not Found


nginx