/ricerca/brasil/search.shtml?any=
Mostre menos

Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Argentina pede prisão de ministro iraniano por atentado

Ahmad Vahidi é tido como responsável por ataque à Amia

BUENOS AIRES, 24 abril 2024, 14:14

Redação ANSA

ANSACheck

Atentado à Amia matou 85 pessoas em 1994 © ANSA/AFP

O governo da Argentina pediu a prisão do ministro do Interior do Irã, Ahmad Vahidi, que cumpre visita oficial ao Paquistão e Sri Lanka, por suposto envolvimento no atentado contra a Associação Mutual Israelita (Amia), que deixou 85 mortos em 1994.
    A medida chega cerca de duas semanas depois de a Justiça argentina ter declarado o país persa como um "Estado terrorista" e atribuído a Teerã a autoria do ataque à Amia.
    Em comunicado, o governo do presidente Javier Milei diz ter pedido à Interpol a emissão de uma "circular vermelha" contra Vahidi e que solicitou ao Paquistão e ao Sri Lanka a prisão preventiva do ministro para fins de extradição.
    "A Argentina exige a prisão internacional dos responsáveis pelo atentado à Amia, que continuam em seus cargos de poder com total impunidade. Um deles é Ahmad Vahidi, tido pela Justiça argentina como um dos responsáveis pelo ataque", disse o Ministério das Relações Exteriores de Buenos Aires.
    Além de comandar o Ministério do Interior, Vahidi é membro do alto escalão do Exército dos Guardiães da Revolução Islâmica. (ANSA)

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Veja também

Ou use