[an error occurred while processing the directive] COP28: Fundo ajudará países impactados pelo aquecimento global - União Europeia - Ansa.it

Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

COP28: Fundo ajudará países impactados pelo aquecimento global

Anúncio do acordo em Dubai foi definido como 'histórico'

SÃO PAULO, 30 novembro 2023, 18:15

Redação ANSA

ANSACheck

Mural na Itália que faz um alerta sobre o aquecimento global - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

(ANSA) - A Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP28), que começou nesta quinta-feira (30) em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, afirmou que ao menos US$ 420 milhões serão encaminhados para um fundo que auxiliará nações mais pobres afetadas pelo aquecimento global.

O lançamento do fundo que apoiará os países mais vulneráveis foi amplamente aplaudido pelos delegados dos Estados participantes da cúpula, pois a medida foi definida pelo presidente da COP28, Sultan Al Jaber, como uma "decisão histórica".

A União Europeia foi quem deu a contribuição mais alta ao chamado "Fundo de Perdas e Danos", pois encaminhou US$ 246 milhões. O bloco foi acompanhado pelos Emirados Árabes Unidos, que enviou US$ 100 milhões, e os Estados Unidos, com US$ 17,5 milhões.

A líder do grupo que integra esses países mais vulneráveis, Madeleine Diouf Sarr, celebrou o auxílio e disse que ele possui um "enorme significado para a justiça climática".

Cassie Flynn, diretora global do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento para o Clima (PNUD), recordou que foi inédito o anúncio de uma decisão logo no primeiro dia da conferência.

Ela, contudo, admitiu que ainda tem "muitos próximos passos que precisam acontecer" para esse fundo de investimento "abrir as portas".
   

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Ou use

Último momento

404 Not Found

404 Not Found


nginx