/ricerca/brasil/search.shtml?any=
Mostre menos

Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Itália registra boom em gastos de turistas com refeições

Dados apontam que número é o mais elevado desde 2019

ROMA, 29 janeiro 2024, 13:58

Redação ANSA

ANSACheck

Turistas gastam mais em bares e restaurantes - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

(ANSA) - A retomada do turismo estrangeiro na Itália também está impulsionando o consumo nos estabelecimentos públicos: em 2023, os mais de 65 milhões de estrangeiros que visitaram o país gastaram em média mais de 212 euros por pessoa em cafés da manhã, almoços, jantares e aperitivos, um total de mais de 13 bilhões de euros, o valor mais elevado desde 2019.

Os dados foram divulgados nesta segunda-feira (29) pela Fiepet, associação de empresas públicas pertencentes à Confesercenti e são baseados em cálculos com informações do Centro de Estudos Turísticos de Florença.

Segundo o estudo, no ano passado, o atendimento a estrangeiros registrou um crescimento de 13,7%, atingindo em valores absolutos mais de 228,5 milhões de euros, mais do que no último ano antes da pandemia.

Os turistas demonstraram apreciar não só as cidades, os vilarejos artísticos, as praias e o campo, mas também o estilo de vida e principalmente a gastronomia. Os dados apontam que os gastos em bares e restaurantes constituem, de fato, 33% do consumo total dos viajantes estrangeiros na Itália, chegando a 42 bilhões de euros no ano passado, um aumento de 7,8% em relação a 2022.

O crescimento eleva o gasto dos turistas estrangeiros para 4% do gasto global, recuperando integralmente os níveis pré-Covid.

A despesa em estabelecimentos públicos é a segunda maior dos estrangeiros na Itália, seguida dos gastos com hospedagem, que é 36%, em um total de mais de 15,1 bilhões de euros. Na sequência aparecem transportes (11%, 4,6 bilhões) e compras, às quais os turistas destinaram cerca de 4,2 bilhões, 10% do total.

Cerca de 6% - pouco mais de 2,5 bilhões de euros - foram destinados a atividades recreativas e culturais, enquanto quase 1,7 bilhão foi absorvido por despesas em outras atividades e serviços.

Quem mais gasta - um total de 6,8 bilhões de euros - são os turistas alemães, seguidos dos americanos (5,2 bilhões de euros) e cidadãos provenientes do Reino Unido (2,8 bilhões); França (3,6 bilhões); Áustria (2,1 bilhões), Espanha (1,8 bilhão) e Suíça (1,6 bilhão).

Também aparecem no ranking os viajantes do Canadá (1 bilhão), Japão (550 milhões) e da Rússia (210 milhões). Os 15,3 bilhões de euros restantes provêm, no entanto, de viajantes de outros países.

"Os viajantes estrangeiros gastam um em cada três euros num estabelecimento público. Uma preferência que tem permitido, nos destinos turísticos, compensar parcialmente o abrandamento da procura italiana e o aumento dos custos empresariais. Bares, restaurantes, pizzarias e pubs têm um papel importante no nosso turismo", afirmou Giancarlo Banchieri, presidente da Fiepet Confesercenti.
   

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Veja também

Ou use