Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Prosecco enfrenta pior colheita em 4 décadas, diz produtor

Vindima sofre com mau tempo e falta de pessoal

ROMA, 25 agosto 2023, 12:27

Redação ANSA

ANSACheck

Prosecco terá colheita prejudicada por diversos fatores em 2023 - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

(ANSA) - A produção de vinho Prosecco enfrenta a colheita "mais difícil em mais de 40 anos", segundo o consórcio responsável pela bebida com selo de denominação de origem controlada (DOC).

"Creio que possa afirmar que essa é a vindima [colheita da uva] mais difícil que eu me lembro, portanto dos últimos 40 anos, por causa do mau tempo, dificuldades para encontrar pessoal e fatores como pouco açúcar à disposição e baixa acidez, com uma limitada produção", descreveu Sandro Bottega, presidente da Bottega, produtora de Prosecco.

A colheita ocorre em Treviso, na região do Vêneto, nordeste da Itália.

"Uma das soluções é a vindima manual para recolher o melhor da planta, porque depois não é mais preciso estressar os ramos e são recolhidos só os melhores cachos. Mas a maior parte do trabalho precisa ser feita na cantina, com a seleção das uvas e técnicas enológicas que façam com que cheguem aos níveis qualitativos de sempre", prosseguiu Bottega.

Entre as técnicas está o uso de madeira para o envelhecimento, com adição de levedos capazes de extrair o melhor das uvas que sofreram com eventos climáticos.

Para o especialista, é preciso considerar que em 2022 as uvas passaram por estresse hídrico e ainda não se recuperaram totalmente.

A situação, porém, varia de acordo com o tipo de uva: "As precoces como Pinot Nero e Chardonnay provavelmente darão resultados melhores, e o Prosecco rosé se beneficia disso, por exemplo".

"Já sobre o Glera, variedade de uva branca, componente base do Prosecco, os testes serão sobre a longevidade dos vinhos que queremos obter, graças a produções reduzidas que permitirão elevar a qualidade", declarou Bottega.

Por fim, o principal gargalo do setor é o atendimento à demanda de exportação do vinho: "Para que possamos sobreviver, será preciso elevar a imagem de um produto que sofreu aumentos fortes de custo".
   

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Veja também

Ou use

Último momento

404 Not Found

404 Not Found


nginx